Irã acusa dois alemães de espionagem

CASO SAKINEH

, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2010 | 00h00

Dois alemães presos no Irã desde outubro, quando entrevistavam o filho de Sakineh Ashtiani, condenada à morte por adultério e participação no assassinato do marido, serão processados por espionagem, informou ontem a Justiça local. Teerã inicialmente acusou os alemães, que entraram no país com visto de turista, de trabalhar ilegalmente como jornalistas, mas o chefe do Judiciário na Província do Azerbaijão Oriental, Malekajdar Sharifi, declarou que eles serão processados por espionagem, o que pode levar à pena de morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.