Irã acusa EUA e Reino Unido de "semearem a discórdia"

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, acusou neste domingo os EUA e o Reino Unido de "tentarem semear a semente da discórdia entre os países independentes da Europa e o Oriente Médio", informou a agência oficial de notícias Irna.Ahmadinejad acrescentou durante uma reunião com o presidente da União Interparlamentar (UIP), o italiano Pier Ferdinando Casini, que estes Estados "pretendem, assim, proteger seus interesses ilegítimos".O presidente iraniano defendeu as relações "históricas" entre a Europa e o Oriente Médio, e destacou que ambas as partes têm "muitos interesses em comum, um deles, a segurança".O líder da República Islâmica ressaltou ainda a necessidade de o papel da União Européia ser impulsionado para que promova a justiça em todos os países do mundo."Enquanto os Estados Unidos continuarem assustando seus oponentes utilizando as Nações Unidas como um instrumento e considerando a si próprios o juiz da ONU, esta organização não será suficientemente eficiente nem levará a cabo suas tarefas" disse Ahmadinejad.O governante iraniano assegurou que, além disso, a ONU "fracassará na promoção da paz, da tranqüilidade e da estabilidade no mundo".Ahmadinejad também frisou que é possível solucionar os problemas por meio do dialogo se "algumas partes não se empenharem em promover a injustiça e não insistirem na crueldade".Por sua vez, Casini destacou o papel "decisivo" do Irã no Oriente Médio e afirmou que a "comunidade internacional precisa do Irã para a promoção da paz e da tranqüilidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.