Irã adia julgamento de montanhistas dos EUA

O julgamento de três montanhistas norte-americanos acusados de espionagem após serem presos na fronteira entre o Irã e o Iraque foi adiado, porque eles não foram levados da prisão ao tribunal, informou um funcionário diplomático. Hoje haveria uma segunda sessão do caso, a portas fechadas, no tribunal revolucionário. O julgamento começou no dia 6 de fevereiro, com uma audiência de apenas algumas horas.

AE, Agência Estado

11 de maio de 2011 | 10h44

"O advogado nos disse que ele foi informado de que a sessão foi adiada, já que eles não foram transferidos da prisão", afirmou uma fonte diplomática suíça, acrescentando que o advogado não tinha mais detalhes. A embaixada suíça representa os interesses dos Estados Unidos em Teerã, já que Irã e EUA não têm relações diplomáticas há mais de três décadas.

Shane Bauer e Josh Fattal, ambos de 28 anos, foram presos junto com Sarah Shourd, de 32, na fronteira entre Irã e Iraque, em 31 de julho de 2009. Eles insistem que estavam perdidos durante uma viagem para fazer escaladas. Shourd é julgada in absentia, pois voltou para casa após ser libertada por motivos médicos e humanitários, em setembro do ano passado, além de pagar uma fiança de cerca de US$ 500 mil. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.