Irã admite ocupação de poço na fronteira com Iraque

O governo do Irã admitiu neste sábado a tomada de um poço de petróleo em uma área disputada da fronteira com o Iraque. Mas, numa tentativa de evitar um incidente diplomático, Teerã insistiu em que a reserva situa-se em solo iraniano.

RICARDO GOZZI, Agencia Estado

19 de dezembro de 2009 | 13h54

"Nossas forças estão em nosso próprio solo e, com base em fronteiras internacionais reconhecidas, esse poço pertence ao Irã", dizia um comunicado divulgado pelo comando das Forças Armadas iraniana à emissora de televisão via satélite Al-Alam.

Na sexta-feira, a estatal iraquiana South Oil Company denunciou que "uma força iraniana chegou ao campo de petróleo", situado na cidade de Amara. Segundo a empresa, o contingente iraniano "tomou o controle do poço 4 e içou a bandeira iraniana, apesar de o poço estar em solo iraquiano".

Bagdá exige que "Teerã retire os homens armados que ocuparam o poço 4" do campo de petróleo de Fauqa, em Amara, e denunciou o incidente como "uma violação da soberania iraquiana".

No entanto, Ramin Mehmanparast, porta-voz da chancelaria iraniana, acusou hoje "forças externas" de atuarem no sentido de prejudicar as relações entre Teerã e Bagdá, segundo a Agência de Notícias da República Islâmica.

Alaeddin Borujerdi, presidente da comissão de política externa e segurança nacional do Parlamento iraniano, disse que o caso "está sendo examinado por meio dos canais diplomáticos". Ele também acusou a mídia estrangeira de se aproveitar do incidente como ferramenta de propaganda.

O poço 4 do campo de Fauqa é parte de uma série de blocos de exploração de petróleo que o Iraque tentou, sem sucesso, leiloar para companhias estrangeiras em junho último. Estima-se que o campo possua 1,55 milhão de barris de petróleo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãocupaçãoIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.