Irã adota tom moderado na questão nuclear, indica carta

Uma nova oferta do Irã às potências mundiais a respeito do programa nuclear da república islâmica é bastante curta em pré condições do país para negociar e sugere que Teerã pode mesmo concordar em abordar algumas questões que antes não estavam nem mesmo sobre a mesa, de acordo com a cópia de uma carta confidencial escrita pelo principal negociador nuclear do Irã, Saed Jalili. A carta, obtido com exclusividade pela Associated Press, tem um tom muito moderado.

AE, Agência Estado

13 Setembro 2011 | 19h24

A carta traz poucos detalhes sobre o que o Irã está pronto a discutir com os Estados unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha. Mas ela difere de ofertas anteriores, ao evitar pedidos que as seis potências já rejeitaram várias vezes.

A carta de Jalili afirma que o Irã está "pronto a cooperar com a não proliferação e a cooperação nuclear pacífica". Diplomatas ocidentais, contudo, disseram que a carta é parte de uma nova "ofensiva diplomática" do Irã para abalar os planos de citar o país novamente ante o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), onde o Irã já enfrentou quatro rodadas de sanções por causa do seu programa nuclear. A carta de Jalili é datada de 6 de setembro.

Em relatório no começo deste mês, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) se disse pela primeira vez "cada vez mais preocupada" sobre informações "extensas" da inteligência que sugerem que o Irã continua a desenvolver um programa nuclear sigiloso.

O Irã nega que seu programa nuclear tenha finalidades bélicas.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Irã nuclear AIEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.