Irã adverte Israel para não atacar usina atômica

O Irã, que constrói uma primeira usina nuclear e planeja a segunda, advertiu que Israel "pagará um alto preço" caso ataque as instalações atômicas, como fez no Iraque em 1981. Hamid Reza Asefi, o porta-voz do Ministério do Exterior, afirmou a repórteres esperar que Israel, que tem alertado contra o suposto programa de armas nucleares do Irã, não recorra a tal "aventura"."Em todos os níveis, o regime sionista provou ser aventureiro no passado e não respeitar qualquer princípio. No caso de ele cometer tal erro, ele pagará um alto preço", disse. Autoridades israelenses têm exortado os Estados Unidos e a Europa a pressionar o Irã a suspender seu suposto programa de armas nucleares, depois que Teerã testou com sucesso um míssil capaz de alcançar o Estado judeu.Analistas especulam que a posse por Teerã de uma bomba atômica provocaria uma corrida armamentista entre Irã e Israel. Israel bombardeou uma usina nuclear iraquiana em 1981.Israel nunca admitiu ter armas nucleares, mas é amplamente aceito que o país possui de 100 a 200 bombas atômicas. O Irã nega que pretenda produzir armas nucleares e afirma que sua usina, sendo construída com a assistência da Rússia, vai apenas gerar energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.