Irã afirma que exportações de petróleo caíram 40% após sanções

Nações ocidentais tentam pressionar Teerã a abandonar seu controverso programa nuclear

Agência Estado

08 de janeiro de 2013 | 03h46

LONDRES - O ministro do Petróleo do Irã, Rostam Qasemi, admitiu pela primeira vez que as exportações de petróleo caíram 40% devido às sanções do Ocidente, rompendo com as negações anteriores sobre o impacto da pressão internacional.

Nos últimos nove meses "tem havido um declínio da ordem de 40% nas vendas de petróleo e queda de 45% na repatriação dos ganhos com petróleo", afirmou Qasemi, como reportou a agência de notícias ISNA.

No ano passado, as nações ocidentais aplicaram sanções ao setor energético iraniano a fim de pressionar Teerã a abandonar seu controverso programa nuclear. A União Europeia proibiu a compra de petróleo do Irã, enquanto que suas vendas para a Ásia foram atingidas por uma proibição da União Europeia sobre o seguro para o transporte do insumo iraniano, além das sanções dos EUA impostas contra o banco central de Teerã.

Peritos independentes e legisladores iranianos afirmaram que as exportações de petróleo caíram pela metade, de pelo menos 2,2 milhões de barris por dia no ano passado para cerca de 1 milhão de barris diários neste ano.

As informações são da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.