Don EMMERT / AFP
Don EMMERT / AFP

Irã afirma que sanções dos EUA a seu chanceler são 'infantis'

Temores de uma guerra no Oriente Médio com repercussões globais aumentaram desde que o governo Trump retirou seu país do acordo nuclear de 2015 entre potências mundiais com Teerã e reativaram sanções ao governo iraniano

REDAÇÃO, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2019 | 15h22

DUBAI - O Irã acusou os Estados Unidos nesta quinta-feira, 1º, de “comportamento infantil” gerado por medo depois que Washington impôs sanções ao seu ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, agravando as tensões entre os dois inimigos em atrito a respeito da navegação comercial no Golfo Pérsico e do programa nuclear iraniano.

Os temores de uma guerra no Oriente Médio com repercussões globais aumentaram desde que os EUA se desligaram de um acordo nuclear de 2015 entre potências mundiais com o Irã no ano passado e reativaram sanções ao governo iraniano.

A República Islâmica retaliou retomando o enriquecimento de urânio, visto no Ocidente como um caminho possível para o desenvolvimento de bombas atômicas. O Irã nega tal intenção.

Após vários ataques a navios-tanque em maio e junho – atribuídos por Washington a Teerã, que nega responsabilidade –, os EUA estão tentando formar uma coalizão para proteger as águas do Golfo, mas aliados europeus têm mostrado relutância em se filiar por medo de provocar um conflito aberto.

Os signatários europeus do pacto nuclear pediram diplomacia para desarmar a crise, mas EUA e Irã adotaram posturas rígidas, e na quarta-feira o governo Trump aplicou sanções ao chanceler iraniano, provavelmente mais um golpe em qualquer chance de um diálogo construtivo.

“Eles (americanos) estão recorrendo a um comportamento infantil... estavam clamando todos os dias ‘queremos conversas, sem precondições...’ e depois sancionam o nosso ministro das Relações Exteriores”, disse o presidente iraniano, Hassan Rohani, na televisão estatal.

O chanceler, figura central do acordo nuclear que foi educado nos EUA e onde morou durante muitos anos, repudiou a ação e disse que ela não o afetará, já que não tem propriedades ou outros interesses nos EUA.

“Um país que acredita que é poderoso e uma superpotência mundial está com medo das entrevistas do nosso ministro das Relações Exteriores”, afirmou Rouhani, aludindo a diversas entrevistas que Zarif, que é fluente em inglês, deu à mídia americana ao visitar Nova York para uma conferência da ONU em julho.

“Quando o doutor Zarif dá uma entrevista em Nova York... eles (americanos) dizem que o ministro das Relações Exteriores do Irã está enganando nossa opinião pública”, disse Rohani. “O que aconteceu com seus clamores de liberdade, liberdade de expressão e democracia?”

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse que Zarif está sendo punido porque “implementa a agenda irresponsável do líder supremo do Irã... estamos enviando ao regime iraniano a mensagem clara de que seu comportamento recente é completamente inaceitável”. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.