Irã ameaça interromper cooperação voluntária com a ONU

O Irã ameaçou hoje encerrar toda a sua cooperação voluntária com a Agência Internacional de Energia Atômica, órgão de supervisão nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU), se o tema da retomada de seu programa nuclear for levado para discussão no Conselho de Segurança da organização. O ministro de Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, afirmou que os europeus perderão a oportunidade que têm agora de se relacionarem com o Irã e que Teerã poderá bloquear as inspeções de suas unidades nucleares, de acordo com a TV estatal."Se o Irã for levado como tema de discussão no Conselho de Segurança da ONU, o governo será obrigado a encerrar a sua cooperação voluntária", teria dito Mottaki, segundo a emissora de TV. O comunicado faz referência a uma lei aprovada no ano passado que permite ao governo bloquear inspeções se o assunto do programa nuclear for levado para debate no Conselho de Segurança da ONU. Desde 2003, o Irã vinha cooperando com a Agência Internacional de Energia Atômica.Ontem, ministros de Relações Exteriores da Alemanha, Reino Unido e França afirmaram que as negociações sobre as questões nucleares do Irã atingiram um ponto que o assunto seja discutido pelo Conselho de Segurança, que definiria sanções para o país. Hoje, o governo japonês indicou que pretende levar o Irã ao Conselho de Segurança, caso o país não acione o freio em seu programa de expansão de tecnologia nuclear. Na terça-feira, o Irã anunciou que retirada dos lacres impostos pela AIEA em suas instalações atômicas na central de Natanz, encarregadas de enriquecer urânio em centrífugas de gás para produzir combustível nuclear. Países do Ocidente temem que por trás deste comportamento está o desejo do Irã de fabricar armas nucleares. O Irã está sobre a Segunda maior reserva de petróleo do Oriente Médio, depois da Arábia Saudita. Mas as suas unidades para distribuição e processamento estão dilaceradas, o que gera uma situação irônica: a demanda doméstica por gasolina supera em 60% a capacidade de refino. Refletindo esse cenário, o Irã importa mais e 95 mil barris por dia de petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.