Irã anuncia que testou, 'com sucesso', 3 novos mísseis antiaéreos

Ministro da Defesa fez anúncio durante desfile militar no Dia das Forças Armadas no Irã

Efe,

18 de abril de 2011 | 09h33

O ministro iraniano da Defesa, Ahmad Vahidi (esq.) durante parada militar em Teerã

 

TEERÃ - O Irã testou "com sucesso" três novos tipos de mísseis de defesa antiaérea desenvolvidos e fabricados integralmente por engenheiros do país, anunciou nesta segunda-feira, 18, o ministro da Defesa iraniano, Ahmad Vahidi.

 

Veja também:

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

 

Em declarações concedidas à imprensa após o desfile militar realizado por ocasião do Dia das Forças Armadas no Irã, Vahidi, membro da Guarda Revolucionária, afirmou que um dos mísseis testados é "o mais rápido do mundo". "Há poucos dias, lançamos satisfatoriamente os mísseis de defesa antiaérea Shahin e Shalamcheh, que foram incorporados às nossas Forças Armadas", afirmou. "Também testamos o míssil de fabricação nacional Zafar, o mais rápido do mundo".

 

"Com estes três mísseis e outros novos equipamentos acrescentados, conseguimos aumentar enormemente nosso poder de defesa aérea", disse. Vahidi presidiu nesta segunda-feira o desfile das Forças Armadas no mausoléu do aiatolá Khomeini, que fundou a República Islâmica há 30 anos.

 

Durante a parada, as Forças de Segurança iranianas apresentaram a nova geração de tanques de fabricação nacional Zolfaqar, que, segundo fontes iranianas, são capazes de disparar cerca de 6 mil projéteis por minuto.

 

Nos dois dias anteriores ao desfile, as forças iranianas anunciaram que haviam testado com sucesso outros dois sistemas de escudos antimísseis, denominados "Mersad" e "Sayyad-2".

 

Fontes militares iranianas citadas pela agência local de notícias Fars afirmam que o Mersad, equipado com mísseis de médio alcance Shahin, é capaz de perseguir e destruir aviões que voem entre 70 e 150 quilômetros de altitude.

 

O Sayyad-2, que será apresentado nos próximos dias e é equipado com mísseis terra-ar, é similar e, de acordo com as autoridades militares, vai ser instalado em todo o país. O Irã advertiu que dará "uma resposta demolidora" a qualquer nação que o agrida, especialmente Israel, que ameaçou em várias ocasiões atacar o país caso não ponha fim em seu controvertido programa nuclear.

 

Apesar do embargo parcial de armas que sofre desde a década de 1980, o Irã iniciou um programa nacional de Defesa que o levou a modernizar suas Forças Armadas, em particular a Guarda Revolucionária, força militar de elite, paralela ao Exército, e de defesa ideológica do regime.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãMísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.