Irã anuncia teste de mísseis e ameaça fechar Estreito de Ormuz

Ações são uma resposta ao embargo total ao petróleo iraniano declarado pela UE, que começou a vigorar ontem

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2012 | 03h02

O Irã adotou medidas desafiadoras em resposta às sanções da União Europeia, que começaram a vigorar ontem e incluem a interrupção da importação de petróleo iraniano. Teerã anunciou uma nova lei para interromper a passagem de embarcações pelo Estreito de Ormuz, a principal via de escoamento da produção petroleira do Golfo Pérsico, e divulgou o início de um teste de mísseis em claro aviso aos EUA e a Israel.

A nova legislação pede que as Forças Armadas do Irã bloqueiem a passagem de qualquer navio petroleiro que se destine a países que deixaram de comprar o produto de Teerã, em virtude do recente embargo da União Europeia. Não ficou claro, porém, se a lei será ou não aprovada ou como Teerã a aplicará, já que a 5.ª Frota da Marinha dos EUA - com base no Bahrein - patrulha as águas de Ormuz.

Segundo agências de notícias iranianas, a Guarda Revolucionária iniciou um exercício militar de três dias, que testará mísseis no deserto da Província de Semnan. O comandante da operação, o general de brigada Amir Ali Hajizadeh, afirmou que a simulação de guerra é uma resposta a "nações aventureiras".

Em janeiro, graças à incerteza sobre o programa nuclear iraniano - que o Ocidente teme ser capaz de produzir uma bomba atômica, mas que Teerã diz ser pacífico - a União Europeia anunciou sanções à importação de petróleo iraniano.

Ex-cliente. O bloco comprava 20% da produção do país. As sanções devem impedir o Irã de exportar 1,5 milhão de barris por dia, reduzindo sua receita em US$ 4,5 bilhões mensais. A UE ainda congelou os bens do Banco Central do Irã, restringiu investimentos no país e proibiu a exportação de equipamentos para exploração de gás natural para Teerã.

A resposta iraniana veio em ameaças de fechar Ormuz. Teerã diz que enriquece urânio para produção de energia elétrica e isótopos médicos para pesquisa.

Ontem, o Irã restabeleceu o fluxo de gás natural enviado para a Turquia, suspenso após uma explosão danificar o gasoduto entre os países, na semana passada. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.