Fabrice Coffrini/ AP
Fabrice Coffrini/ AP

Irã apresenta proposta sobre programa nuclear a potências em Genebra

Roteiro de Teerã promete pôr fim a crises desnecessárias provocadas por projeto atômico

JAMIL CHADE / CORRESPONDENTE,

15 de outubro de 2013 | 07h13

GENEBRA - O governo do Irã apresentou na manhã desta terça-feira, 15,  um novo plano às potências nucleares  sobre como controlar seu programa atômico. com a meta de “evitar crises desnecessárias”.  O projeto está sendo explicado neste momento em Genebra na sede da ONU aos governos dos EUA, Alemanha, França, Grã-Bretanha, China e Rússia, o chamado grupo 5+1. Teerã chamou o pacote de “Abrindo Novos Horizontes”.

“Uma proposta foi apresentada. Podemos confirmar isso”, declarou Michael Mann, porta-voz da UE. Por enquanto, os detalhes não foram revelados. Segundo diplomatas ocidentais, o plano prevê maior transparência do Irã em relação ao programa nuclear e desaceleração de certa atividade de enriquecimento. A apresentação do plano dura mais de uma hora, com a delegação iraniana usando um projetor para explicar cada um dos itens da proposta.

“São os iranianos que precisam mostrar sinais de que querem negociar”, insistiu Mann, deixando claro que a responsabilidade do sucesso ou fracasso do debate está com Teerã.

 O Estado apurou que o plano terá três etapas. A primeira, com duração de seis meses, prevê que potências aceitem claramente que o Irã tem o direito do uso da energia nuclear para fins pacíficos. O segundo momento é a implementação das ações de congelamento de certas atividades. Ao final, uma terceira etapa garantiria que o Irã possa efetivamente usar essa energia nuclear.

Abbas Araqchi, o vice-chanceler iraniano, garantiu em resposta a uma questão do Estado que acredita que a proposta tem “o potencial de romper o impasse”. Mas não detalhou o que está disposto a fazer para atender às potências.

Num primeiro sinal positivo, a delegação iraniana aceitou apresentar seu projeto inteiro em inglês, rompendo uma tradição de anos. A decisão foi  interpretada por diplomatas ocidentais como um sinal de que Teerã quer um acordo.

As potências nucleares indicaram estão dispostas a rever as sanções impostas sobre o Irã. Mas para isso exigem que o governo de Teerã adote rapidamente três medidas específicas para testar se o discurso conciliatórios das últimas semanas do novo governo pode ser traduzido em ações. Segundo fontes da Casa Branca, o relaxamento das sanções será “proporcional” ao que o Irã ceder em seu programa nuclear.

Interseção: A aproximação entre Irã e EUA :

Tudo o que sabemos sobre:
Irãimpasse nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.