Irã aprova igualdade entre muçulmanos e fiéis de outros credos

O Parlamento iraniano, de maioria reformista, aprovou hoje os critérios gerais de uma normativa que modifica a lei islâmica até agora aplicada e que reconhecerá o mesmo valor material para a vida de um muçulmano e a de um fiel de outro credo a fim de ressarcimento.A nova lei entrará em vigor apenas depois de ser acatada pelo Conselho dos Guardiães, corte constitucional iraniana dominada por conservadores, informou a agência de notícias IRNA.A normativa diz respeito ao denominado "preço do sangue", o que significa indenização pelo assassinato de uma pessoa.A lei atualmente em vigor prevê que um muçulmano receba indenização duas vezes maior que a do fiel de outra religião, assim como a indenização pela morte de um homem é o dobro em comparação à de uma mulher.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.