EFE/EPA/ABEDIN TAHERKENAREH
EFE/EPA/ABEDIN TAHERKENAREH

Irã aumenta restrições no país contra a covid-19 a partir deste sábado

Medidas mais duras serão impostas na capital Teerã e em cerca de 100 outras cidades

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2020 | 09h28

TEERÃ - O Irã irá impor restrições mais rígidas a partir deste sábado, 14, disse o presidente Hassan Rouhani à televisão estatal, enquanto o país do Oriente Médio mais atingido pelo vírus enfrenta uma terceira onda da covid-19

As medidas mais duras - classificadas pelas autoridades de saúde como 'vermelhas' ou nível 3 - serão impostas na capital Teerã e em cerca de 100 outras cidades. 

Negócios e serviços não essenciais serão fechados e os carros não terão permissão para entrar ou sair, disse o vice-ministro da Saúde, Alireza Raisi, em uma coletiva de imprensa. 

Autoridades de saúde iranianas desenvolveram um sistema de codificação por cores que denota a gravidade do surto de coronavírus no país. “O objetivo não é fechar os negócios das pessoas, mas temos que estabelecer limites”, disse Raisi. 

Cerca de 150 vilas e cidades são classificadas como "laranja" ou nível 2, disse ele. Nestes, um terço dos funcionários pode ir trabalhar, enquanto em 155 cidades onde a classificação é 'amarela' ou nível 1, dois terços da força de trabalho podem trabalhar em seus locais de trabalho. 

“As paralisações não se limitam a empregos, mas também incluem universidades, escolas e centros de treinamento”, disse Rouhani. “Nas cidades vermelha e laranja, o treinamento será feito remotamente”, acrescentou. 

O Irã relatou 452 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 41.034, disse a porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Sadat Lari, à TV estatal neste sábado, enquanto o total de casos aumentou em 11.203 para 749.525. 

Iraj Harirchi, alto funcionário do ministério, alertou que o número de infectados e fatalidades dobrará nas próximas duas semanas. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.