Irã avisa que revidará ataques a instalações nucleares

Dois dias depois de Israel ter revelado que os EUA lhe venderão cerca de 500 bombas destruidoras de bunkers, o Irã alertou que reagirá "rigorosamente" a qualquer ação militar israelense contra suas instalações nucleares. Questionado sobre a venda das bombas, o chanceler do Irã, Kamal Kharrazi, disse: "Israel sempre foi uma ameaça não apenas ao Irã, mas a todos os países". Na opinião de Kharrazi, o principal problema do Oriente Médio é "a liberdade de Israel para produzir o que bem entender, desde bombas nucleares a outras armas de destruição em massa".As declarações foram feitas depois de uma reunião entre Kharrazi e o secretário de Exterior da Grã-Bretanha, Jack Straw, às margens da Assembléia Geral da ONU, em Nova York. "Estejam certos de que qualquer ação israelense será retaliada rigorosamente" pelo Irã, prosseguiu o chanceler. Na terça-feira, fontes militares israelenses revelaram que o país receberá dos EUA cerca de 5.000 bombas "inteligentes", inclusive 500 bombas de uma tonelada, capazes de destruir muros de concreto de dois metros de espessura. Em 1981, Israel bombardeou uma usina nuclear em construção no Iraque antes que o local começasse a funcionar. Ontem, o governo israelense manifestou a crença de que o Irã "nunca abandonará seus planos de desenvolvimento de armas nucleares" e pediu uma ação do Conselho de Segurança da ONU "para acabar com esse pesadelo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.