Gabinete do Líder Supremo do Irã / AP
Gabinete do Líder Supremo do Irã / AP

Irã celebra ano novo persa com promessas de ‘vitórias’ sobre o coronavírus

Autoridades também falaram em superar as sanções americanas durante o Nouruz; calendário iraniano entra no ano de 1399 nesta sexta, 20

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2020 | 10h36

TEERÃ - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, e o presidente do país, Hassan Rouhani, prometeram que a República Islâmica vencerá o coronavírus e as sanções norte-americanas durante as celebrações do Nouruz, o ano novo persa, realizado nesta sexta-feira, 20.

Em sua tradicional mensagem no primeiro dia do ano novo, Khamenei elogiou a dedicação e os "sacrifícios" dos médicos e enfermeiros diante da crise de saúde. O Irã é um dos países mais afetados pelo COVID-19, com cerca de 1.300 mortes registradas, de acordo com dados oficiais.

O guia supremo iraniano pediu a Alá que o novo ano - 1399, no calendário iraniano - seja o das "grandes vitórias" para o país. O ano de 1398, que começou em 21 de março de 2019, foi particularmente difícil no Irã.

Começou com as piores inundações que o país registrou em décadas e foi marcado pelo agravamento da recessão em que a República Islâmica entrou desde que o governo dos Estados Unidos restabeleceu as sanções econômicas de 2018 contra Teerã.

Em novembro de 2019, uma onda de protestos contra o aumento repentino dos preços dos combustíveis terminou com uma dura repressão, que resultou em quase 300 mortos, segundo a Anistia Internacional.

No início de janeiro de 2020 aconteceu a tragédia do avião comercial derrubado "por engano" pelas Forças Armadas do país, que matou 176 pessoas, momento em que a tensão com Washington atingiu o ponto máximo.

Em fevereiro, o país registrou as primeiras mortes provocadas pelo novo coronavírus.

Em uma mensagem exibida na TV poucos minutos depois do discurso de Khamenei, o presidente Hassan Rohani afirmou que o país conseguiu virar o ano de maneira honrosa, levando em consideração as circunstâncias.

"Diante das sanções mais severas da história impostas à indústria petroleira iraniana por parte dos terroristas internacionais, nosso povo escreveu uma nova página épica, fazendo a economia do país funcionar sem petróleo", disse.

"Não fomos vencidos e saímos vitoriosos deste desafio, afirmou. "Em breve vamos superar a epidemia de COVID-19", prometeu Rohani./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.