Irã chama embaixador britânico devido a título a Rushdie

Episódio é novo capítulo na polêmica pela condecoração de "sir" ao escritor

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h07

O Ministério das Relações Exteriores do Irã convocou o embaixador britânico em Teerã para protestar formalmente contra a decisão do Reino Unido de conceder o título de "sir" ao escritor anglo-indiano Salman Rushdie, informou nesta quarta-feira, 20, a Agência de Notícias da República Islâmica. Rushdie foi acusado de blasfêmia pelo falecido líder iraniano Aiatolá Ruhollah Khomeini, e condenado à morte à revelia no Irã em 1989 por causa do livro Os Versos Satânicos. Na reunião, ocorrida na noite de terça-feira, o diplomata iraniano Ebrahim Rahimpour disse ao embaixador Geoffrey Adams que Teerã considerada a concessão do título nobiliário "um ato de provocação" que revoltou os muçulmanos. Adams alegou que Rushdie foi homenageado por seu trabalho literário, assegurou que o governo britânico respeita o Islã e prometeu enviar a Londres o protesto de Teerã. Nesta quarta-feira, 221 dos 290 membros do Parlamento iraniano assinaram uma declaração na qual denunciam a concessão do título de "sir" a Rushdie, escritor premiado no Ocidente, informou a rádio estatal iraniana. No livro, Rushdie insinua que Maomé estava sob a influência de haxixe quando criou o Islã, e a visão do Anjo Gabriel não teria passado de uma alucinação.

Mais conteúdo sobre:
Islã Versos Satânicos Salman Rushdie

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.