Irã chama EUA de "incompetentes" e "repugnantes"

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, acusou hoje os Estados Unidos de serem "incompetentes" e "repugnantes", e afirmou que seu país não irá colaborar com ataques contra o Afeganistão.Num discurso televisionado à nação, Khamenei disse que a administração norte-americana "exagerou em suas expectativas" ao esperar que todo o mundo iria ajudá-la após os ataques terroristas de 11 de setembro."O Irã não irá participar em qualquer ação sob a liderança dos EUA. O Irã não oferecerá qualquer assistência aos EUA e seus aliados num ataque ao já sofrido vizinho muçulmano do Afeganistão", afirmou Khamenei num discurso às famílias de soldados mortos na guerra Irã-Iraque, de 1980 a 1988.O comportamento de Washington, ao esperar ajuda sem merecer o respeito de outras nações, é "repugnante", disse Khamenei, acrescentando que o Irã não considera os Estados Unidos "competentes e sinceros (o bastante) para liderar qualquer campanha global contra o terrorismo".Khamenei também rejeitou a declaração dos EUA ao mundo, de que as nações deveriam escolher entre estar "conosco ou com o terrorismo"."Não estamos com vocês", afirmou Khamenei em comentário dirigido aos Estados Unidos. "Ao mesmo tempo, não estamos com terroristas. A América não é sincera na luta contra o terrorismo. Ela tem outros objetivos. As mãos da América estão manchadas com todos os crimes cometidos pelo regime sionista", disse.O Irã, que se opõe à ocupação por parte de Israel de territórios palestinos e o uso da força militar contra manifestantes palestinos, acusa Washington de ser tendencioso em favor do Estado judeu.O Irã quer que a luta contra o terrorismo seja liderada pelas Nações Unidas, e não pelos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.