Abedin Taherkenareh/Efe
Abedin Taherkenareh/Efe

Irã cita 'grande' comparecimento em pleito dominado por conservadores

Eleições parlamentares são as primeiras do país desde os protestos de 2009

BBC Brasil, BBC

02 de março de 2012 | 14h21

TEERÃ - O governo do Irã disse que um grande número de eleitores foi às urnas nesta sexta-feira, 2, escolher os 290 integrantes do Parlamento do país, conhecido como Majlis.

 

Veja também:

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 especialESPECIAL: O programa nuclear do Irã

"Com esse comparecimento, a população provou que ainda está protegendo o país", disse Ramin Mehmanparast, porta-voz do ministério das Relações Exteriores iraniano. Ele disse ainda que o país "frustrou" o Ocidente por causa da grande presença de eleitores nas urnas.

Este é o primeiro pleito desde os grandes protestos que se seguiram à controversa eleição presidencial de 2009, na qual Mahmoud Ahmadinejad se reelegeu.

As eleições atuais são vistas por muitos analistas como um embate entre simpatizantes de Ahmadinejad e os do líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei.

A oposição, conhecida como Movimento Verde, não está participando. Seus líderes estão sob regime de prisão domiciliar desde fevereiro de 2011.

Na ausência de reformistas, o movimento conservador, atualmente no poder, disputará entre si os votos dos eleitores.

'Pedido' de Ahmadinejad

O Irã tem mais de 48 milhões de eleitores e 47 mil postos de votação. Mas há relatos de que simpatizantes de Ahmadinejad teriam pedido, veladamente, para que as pessoas não votassem nesta sexta.

O presidente iraniano se desentendeu com Khamenei nos últimos meses, e alguns dos simpatizantes de Ahmadinejad dizem que seus candidatos foram impedidos de concorrer ao Conselho de Guardiões, órgão controlado pelo supremo líder.

Em abril, o presidente demitiu o ministro da Inteligência após ele ter demitido um aliado seu. Mas Khamenei o reinstalou o ministro.

A medida desagradou Ahmadinejad, que não compareceu a encontros de governo por 11 dias.

O correspondente da BBC no Irã, James Reynolds, disse que estas eleições devem definir o balanço de pode entre os dois setores conservadores do país antes de um pleito mais importante, o presidencial de 2013.

Mas, diz ele, a votação não deve influir nos rumos do programa nuclear iraniano, alvo de preocupação no Ocidente e em Israel.

'Direito e dever'

Logo cedo, nesta sexta-feira, a TV iraniana transmitiu imagens de Ali Khamenei votando em Teerã. O líder supremo disse que o voto era um "direito e um dever" dos iranianos.

"Por causa das controvérsias a respeito do Irã e das ameaças verbais cada vez maiores, quanto mais as pessoas forem às urnas, melhor para o país". "O voto sempre traz uma mensagem para nossos amigos e nossos inimigos."

O porta-voz da Chancelaria iraniana disse que o país "frustrou" o Ocidente por causa do grande comparecimento dos eleitores. "A população provou que ainda está protegendo o país", disse Ramin Mehmanparast.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.