Irã cobra indenização dos EUA por plataformas de petróleo

O Irã ingressou com uma ação contra os Estados Unidos no Tribunal Internacional de Haia, por entender que Washington violou um acordo com Teerã ao ficar ao lado de Bagdá durante a Guerra Irã-Iraque (1980-1988) e atacar três plataformas de petróleo no Golfo Pérsico.O Irã está em busca de uma compensação não especificada, devido a uma "violação fundamental" do Tratado de Amizade, Relações Econômicas e Direitos Consulares, assinado em 1955 com o objetivo de promover a amizade comercial e política entre as duas nações.A primeira plataforma de petróleo foi destruída pela Marinha dos EUA em 19 de outubro de 1987, em retaliação a um ataque iraniano contra um petroleiro de bandeira norte-americana, que feriu 18 tripulantes.Os Estados Unidos destruíram mais duas plataformas de petróleo iranianas em 18 de abril de 1988, depois de uma mina marinha ter ferido 10 militares a bordo de uma fragata.Em resposta ao processo, os EUA entraram com uma ação contra o Irã por suposta violação de acordos de livre comércio, ao despejar minas pelas águas de sua costa no Golfo e por disparar contra navios norte-americanos durante a Guerra Irã-Iraque.Uma resolução para o caso deverá demorar meses, no mínimo, segundo previsões de especialistas.No início de uma sessão de 11 dias de audiências, o Irã alega ter sido vítima de agressão iraquiana e afirma que os EUA ajudaram Bagdá em seus esforços de guerra, ao fornecer materiais e informações às forças inimigas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.