Irã com armas nucleares é inaceitável, diz Bush

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta quinta-feira que a idéia de um Irã com armas nucleares é inaceitável. Ele exortou a comunidade internacional a redobrar seus esforços para impedir que Teerã obtenha bombas atômicas.A declaração de Bush foi feita em meio ao anúncio de que o Irã ampliou seu programa de enriquecimento de urânio injetando o gás hexafluoreto de urânio em um segundo conjunto de 164 centrífugas na usina nuclear de Natanz.Segundo a agência iraniana semi-oficial Isna, uma fonte do governo de Teerã disse que o gás foi injetado com sucesso nas centrífugas há duas semanas. No começo da semana, a mesma agência havia anunciado que o gás seria injetado nos próximos dias. O Irã produziu uma pequena quantidade de urânio pouco enriquecido em abril no primeiro conjunto de 164 centrífugas também instaladas em Natanz.A agência indicou que a segunda série teria duplicado a capacidade de enriquecimento de urânio do Irã.Bush disse que está ciente da "especulação" e condenou a medida. "Se eles dobraram ou não (a capacidade de enriquecimento), a idéia de um Irã com uma arma nuclear é inaceitável", disse o presidente americano, acrescentando que os iranianos precisam saber que terão apenas o isolamento do mundo se continuarem trabalhando em tal programa.Necessidade energéticaO Irã - o segundo produtor mundial de petróleo - assegura que seu programa nuclear busca apenas suprir a crescente necessidade de energia, mas os EUA e outros países temem que Teerã esteja tentando obter armas nucleares.A ampliação do programa de enriquecimento de urânio iraniano é considerada um ato de desafio à comunidade internacional. Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - EUA, Grã-Bretanha, França, China e Rússia - discutem em Nova York sanções a serem impostas contra Teerã, pois a República Islâmica não atendeu o ultimato dado pela ONU para que o país parasse de enriquecer urânio. O prazo expirou no dia de 31 de agosto.O ministro de Defesa da Rússia, Serguei Lavrov, disse que a capacidade do Irã de enriquecer urânio não é um motivo de preocupação e acrescentou que é prematuro dizer que o Irã está pronto para produzir urânio para ser usado em armas. "É essencial que os trabalhos em Natanz estejam sob controle total e absoluto da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) e não dêem lugar a insinuações", disse Lavrov.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.