Irã começa a implementar acordo nuclear

O Irã interrompeu, nesta segunda-feira, seus trabalhos de enriquecimento de urânio mais sensíveis como parte de um importante acordo fechado com as principais potências mundiais, aliviando os temores sobre o programa nuclear do país e abrindo caminho para o levantamento parcial de sanções, informaram a Organização das Nações Unidas (ONU) e o governo iraniano.

Agência Estado

20 de janeiro de 2014 | 09h56

Segundo a emissora de televisão estatal iraniana, autoridades interromperão o enriquecimento de urânio a 20%, que pode ser facilmente convertido em material para uma bomba atômica, ao desconectar as cascatas de centrífugas de enriquecimento de urânio em Natanz.

"A produção de urânio a 20% foi interrompida com o corte das ligações que alimentam as cascatas nesta instalação", informou a emissora. Relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à ONU, confirmou que as centrífugas foram desconectadas.

Segundo a emissora, inspetores internacionais estiveram presentes nesta segunda-feira quando o Irã começou a implementar suas obrigações de acordo com o acordo histórico alcançado em Genebra em 24 de novembro.

A agência oficial de notícias Irna informou também que o Irã começa nesta segunda-feira a converter parte de seus estoques de urânio a 20% em óxido para produzir combustível nuclear.

Pelo acordo histórico, o Irã concordou em interromper seu programa de enriquecimento de urânio a 20%, mas continuará a enriquecer o material a 5%. O país também concordou em converter metade de seus estoques de urânio a 20% para óxido e a diluir o a metade restante do estoque para 5% no período de seis meses.

Além dessas medidas, pelo o acordo interino de seis meses, o Irã tem de abrir seu programa nuclear para uma maior inspeção da ONU e fornecer mais detalhes sobre suas atividades e instalações nucleares.

Em troca, o país não será alvo de novas sanções e o alívio das já existentes. Medidas contra produtos petroquímicos, ouro e outros metais preciosos, conta a indústria automobilística, peças para aviões de passageiros e serviços serão levantadas imediatamente.

O acordo de Genebra permite que o Irã continue a exportar petróleo bruto no nível atual, que é de cerca de 1 milhão de barris por dia. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãnuclearacordosanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.