Irã começa a testar centrífugas de urânio mais modernas

Irã começa a testar centrífugas de urânio mais modernas

O Irã já projetou e testou centrífugas duas vezes mais poderosas que as já em operação, informou a emissora estatal Press TV nesta sexta-feira. A informação foi atribuída ao chefe da Organização de Energia Atômica do país. As centrífugas giram a velocidades altíssimas para enriquecer o urânio.

AE, Agência Estado

09 de abril de 2010 | 12h43

Esses componentes causam preocupação em nações como Estados Unidos, França e Israel, temerosos do uso que o país persa pode fazer do combustível nuclear. O Irã afirma que seu programa tem apenas fins civis e pacíficos, mas Washington e outros temem que haja também um programa secreto para produzir armas nucleares.

O mais recente relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirma que o Irã tem 8.610 centrífugas instaladas no complexo de Natanz, onde o urânio é enriquecido. Dessas, 3.772 centrífugas estão, de fato, enriquecendo urânio, sob supervisão da AIEA. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.