Irã congelará atividades nucleares a partir de janeiro

O congelamento das atividades nucleares iranianas pelo período de seis meses, definido em acordo com o P5+1 (grupo composto por Alemanha, China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia), vai começar a valer em janeiro. A afirmação foi feita hoje em Viena por Reza Najafi, representante do Irã na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2013 | 18h58

"Esperamos que no final de dezembro ou começo de janeiro possamos iniciar a implementação das medidas acordadas por ambos os lados", declarou Najafi a jornalistas.

Também nesta sexta-feira, o governo iraniano rejeitou a possibilidade de envolver-se em negociações sobre o futuro de seu programa nuclear que contem com a presença de Israel entre os participantes. A afirmação foi feita pelo ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, e divulgada pela agência estatal de notícias Irna.

"Nós não participaremos de nenhuma reunião da qual participe o regime de ocupação", assegurou o chanceler iraniano, em menção à ocupação por Israel de territórios reivindicados pelos palestinos para a fundação de um futuro Estado.

Zarif fez o comentário em resposta à possibilidade de Israel engajar-se nas negociações entre o Irã e o grupo de seis potências formado por Alemanha, China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia. A origem desse rumor ainda não está clara.

"Jamais uma coisa assim irá acontecer e nós definitivamente não estaremos na sala em que representantes do regime sionista estiverem presentes", disse o chanceler iraniano. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.