Irã critica confisco de bens de ONG islâmica nos EUA

O confisco pelo governo dos Estados Unidos de quatro mesquitas e um arranha-céu em Nova York, que pertencem a uma ONG muçulmana, é "vergonhoso", disse um representante do governo iraniano neste domingo. O governo norte-americano suspeita que a ONG tenha ligações com o Irã.

AE-AP, Agencia Estado

15 Novembro 2009 | 15h15

Aproximadamente US$ 500 milhões em bens foram confiscados, num dos maiores sequestros de bens em uma ação antiterrorista na história dos EUA. Os bens incluem contas bancárias; centros islâmicos que abrigam escolas e mesquitas em Nova York, Maryland, Califórnia e Houston; terras na Virgínia; e um prédio de 36 andares em Manhattan.

Ali Larijana, o presidente do Parlamento iraniano, disse que isso mostra que não há diferenças entre o presidente Barack Obama e seu antecessor George W. Bush. "O bloqueio das contas e dos bens da fundação Alavi nos Estados Unidos é uma vergonha," disse Larijana ao Parlamento iraniano. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Obama Irã

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.