Irã critica decisão da UE de listar ala militar do Hezbollah como terrorista

Teerã afirma que medida 'não calculada' apenas serve aos interesses de Israel

AE, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 05h29

TEERÃ - O Irã disse que a decisão da União Europeia (UE) de colocar a ala militar do Hezbollah do Líbano na lista negra do bloco é "estranha". Além disso, o país considerou a medida como "não calculada".

O porta-voz do ministério de Relações Exteriores do Irã Abbas Araghchi disse em uma entrevista coletiva em Teerã nesta terça-feira, 23, que a decisão da UE de colocar o grupo militante xiita em sua lista de organizações terroristas serve aos interesses de Israel e só vai complicar a situação no Oriente Médio.  Araghchi afirmou que o fato não vai mudar "a identidade popular e de busca por justiça" do Hezbollah. O grupo é um aliado do Irã.

Os 28 ministros de Relações Exteriores da UE tomaram a decisão na segunda-feira após pressão diplomática dos Estados Unidos, Holanda e Israel./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
irãeuropaHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.