Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Irã critica presença de 'potências corruptas' no Golfo

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, fez uma advertência às "potências corruptas" que tentam desestabilizar o Golfo Pérsico. "Nós precisamos garantir nossa própria segurança no Golfo Pérsico, que é o golfo da amizade e da irmandade", afirmou Ahmadinejad, em discurso na cidade portuária iraniana de Bandar Abbas, transmitido pela televisão estatal. "O povo iraniano não permitirá que potências corruptas do mundo criem distúrbios no Golfo Pérsico", disse o líder do Irã, em referência à presença de militares ocidentais na região.

AE, Agencia Estado

11 de março de 2010 | 13h14

Com tropas dos EUA na maioria dos seus vizinhos, o Irã repetidamente pede a retirada de todas as forças estrangeiras da região. Durante visita ao Afeganistão, ontem, Ahmadinejad disse que "não vê a presença de forças militares estrangeiras no Afeganistão como uma solução para a paz" no país. A declaração ocorre no momento em que o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, visita os Emirados Árabes.

Washington pediu que o governo iraniano tenha um "papel construtivo" na região. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, afirmou que seu país não quer se tornar um cenário para confrontos indiretos entre outros países, citando diretamente Irã e EUA.

Em discurso realizado hoje, Ahmadinejad voltou a atacar Israel. "O regime sionista é o mais odiado do mundo. Ele chegou ao fim da linha e, goste ele disso ou não, irá desaparecer", afirmou o líder iraniano. O governo israelense rotineiramente cita essas declarações de Ahmadinejad como argumento para que o país não possa ter armas nucleares.

Potências como os EUA temem que os iranianos busquem essas armas em segredo, mas Teerã afirma ter apenas fins pacíficos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.