Irã critica Reino Unido por renovação de arsenal nuclear

Sob pressão das grandes potências para suspender seu programa atômico, o Irã criticou nesta sexta-feira, 16, a decisão britânica de renovar seu arsenal nuclear, por considerar isso "um sério revés" aos esforços internacionais de desarmamento. "O Reino Unido não tem o direito de questionar os outros quando eles mesmos não cumprem suas obrigações", disse Ali Asghar Soltanieh, representante iraniano na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU), durante uma conferência. Graças à ajuda de parte da oposição, o governo de Tony Blair conseguiu que o Parlamento aprovasse na quarta-feira a renovação do sistema Trident de armas nucleares. Uma ala do Partido Trabalhista (governo) era contra, argumentando que a preservação do arsenal nuclear passaria um recado negativo a países como Irã e Coréia do Norte, que estão sob pressão internacional devido a seus programas atômicos. Apesar de insistir no caráter pacífico do seu programa nuclear, o Irã está sob sanções da ONU e pode sofrer novas punições nos próximos dias, porque o Ocidente suspeita do desenvolvimento de armas atômicas. "É muito lamentável que o Reino Unido, que sempre pede a não-proliferação, não só não tenha desistido das armas como tenha dado um passo sério na direção de desenvolver novas armas nucleares", disse Soltanieh numa conferência que debatia a decisão relativa ao sistema Trident.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.