Irã critica sistema antimísseis dos EUA no Golfo Pérsico

O Irã criticou hoje a decisão dos Estados Unidos de fortalecer seu sistema antimísseis nos países do Golfo Pérsico, contra eventuais ataques de Teerã. O presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, disse que essa modernização nos sistemas de defesa norte-americanos pode criar mais problemas regionais.

AE-AP, Agencia Estado

02 de fevereiro de 2010 | 15h13

"Os países da região deveriam saber que este espetáculo de títeres dos Estados Unidos, ainda que supostamente com o objetivo de criar segurança, não é nada mais que um novo ardil político para incrementar a presença militar norte-americana na região às custas de outros", afirmou Larijani, durante sessão do Parlamento.

A declaração vem a público após relatos de que o governo do presidente Barack Obama aumenta sua capacidade de mísseis defensivos Patriot em várias nações do Golfo. Um funcionário dos EUA disse na semana passada que o país também reforça a presença de barcos capazes de derrubar mísseis hostis em pleno voo.

Vários países do Ocidente temem que Teerã tenha um programa secreto para construir armas nucleares, o que o governo iraniano nega. Quatro países que terão os mísseis norte-americanos são Kuwait, Emirados Árabes, Bahrein e Catar.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEstados Unidossistemaantimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.