Irã dá sinais de progresso em discussão sobre Arak

O vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, Majid Ravanchi, sinalizou para um progresso potencial em uma das discussões mais espinhosas sobre o programa nuclear do país com as potências mundiais - o futuro do reator nuclear de plutônio na cidade de Arak.

AE, Agência Estado

08 de abril de 2014 | 13h17

Em entrevista ao Wall Street Journal antes de iniciar uma nova rodada de negociações nucleares nesta terça-feira em Viena, Ravanchi disse que o Irã iria abordar "preocupações legítimas" sobre Arak, que o Ocidente afirma ser capaz de produzir plutônio suficiente para fabricação de armas nucleares.

"Nós sabemos muito bem as posições de cada um sobre Arak. A nossa posição é que estamos prontos para responder às preocupações legítimas sobre a possível proliferação que possa surgir em relação a Arak", disse ele.

"Não chegamos a uma conclusão sobre Arak, mas pelo menos sabemos muito bem o que as potências querem e o que nós queremos, e como as posições dos dois lados podem convergir", afirmou Ravanchi.

Em novembro do ano passado, o Irã se comprometeu provisoriamente paralisar a construção do reator, cujo combustível produzido irá conter plutônio. A Agencia internacional de Energia Atômica, que supervisiona o acordo, disse que o país está cumprindo os termos da negociação.

Mas o Ocidente continua preocupado com Arak, que, segundo o governo iraniano, se destina a produzir isótopos utilizados em tratamentos médicos. Especialistas em energia atômica temem que um ataque militar contra o Irã na região em que o reator ficará instalado poderia causar um grande desastre ambiental.

Ravanchi disse também que irá abordar com as potências os mecanismos de transparência para as instalações nucleares do Irã como parte de um acordo final. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãenergia nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.