Irã decide suspender ´parcialmente´ sua cooperação com AIEA

O Irã decidiu suspender neste domingo, 25, de forma "parcial" sua cooperação com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) após a resolução com sanções contra este país, adotada no último sábado pelo Conselho de Segurança da ONU.Segundo o porta-voz do governo iraniano, Gholam Hussein Ilham, a decisão foi tomada durante uma reunião do Conselho de Ministros, liderada pelo presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad.A decisão iraniana responde a uma lei aprovada em 2006 que obriga o governo a "revisar as relações com a AIEA, para que o caso nuclear seja enviado seja enviado ao Conselho de Segurança da ONU", disse Ilham, segundo a agência de notícias IRNA."O Conselho de Ministros decidiu suspender parte da cooperação com a AIEA até que o caso nuclear do Irã seja revisto pela ONU", acrescentou o porta-voz, após reafirmar que o país considera "ilegal" a resolução publicada pela organização neste sábado.Isto significa que Teerã não deve cumprir com o acordo firmado em fevereiro de 2002, que diz que qualquer instalação nuclear precisa ser explicada detalhadamente a membros da AIEA. Além disso, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki disse ao Conselho de Segurança, depois da votação, que o organismo foi manipulado por alguns de seus membros para adotar "ação injustificável" contra um programa nuclear pacífico. "Posso garantir que a pressão e a intimidação não mudarão a política iraniana", disse. "A suspensão não é nem uma opção, nem uma solução." "O mundo precisa saber - e sabe - que até mesmo as sanções econômicas e políticas mais duras, ou outras ameaças, são muito fracas para coagirem a nação iraniana a recuar de suas demandas legais e legítimas", disse Mottaki.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.