Irã defende que 'elementos estrangeiros' saiam da Síria

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, defendeu nesta sexta-feira a saída de "todos os elementos estrangeiros" envolvidos no conflito sírio, para que assim a população do país possa decidir por si só seu futuro.

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2014 | 13h10

A declaração do chanceler iraniano foi feita em um painel de debate sobre o Oriente Médio durante o Fórum Econômico Mundial, realizado na cidade suíça de Davos.

Zarif afirmou que o Irã defende uma solução negociada para a guerra civil iniciada há quase três anos na Síria, assim como o fim da ajuda externa aos grupos armados que tentam depôr o presidente Bashar Assad e a admissão por todos os envolvidos de que não existe solução militar para a crise síria.

O Irã é um dos principais aliados externos de Assad. A república islâmica é criticada pelo Ocidente por seu apoio ao grupo xiita libanês Hezbollah, que combate ao lado do exército sírio. Ao mesmo tempo, a Arábia Saudita e outras monarquias sunitas do Golfo Pérsico fornecem armas e dinheiro aos rebeldes contrários a Assad. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãSíriaDavosHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.