Vahid Salemi/AP
Vahid Salemi/AP

Irã define local para nova usina de enriquecimento de urânio

País anunciou também nesta segunda que deseja negociar com o Conselho de Segurança da ONU

AE-AP, Agência Estado

19 de abril de 2010 | 13h08

TEERÃ - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, aprovou o local para uma nova instalação de enriquecimento de urânio que o país planeja construir, informou nesta segunda-feira, 19, o principal conselheiro dele, Mojtaba Samareh Hashemi. Trata-se da mais nova medida de expansão do programa nuclear que a Organização das Nações Unidas (ONU) exige que seja interrompido.

Veja também:

especialO programa nuclear do Irã

Ainda assim, numa aparente tentativa de desviar as sanções da ONU, o ministro de Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, afirmou que seu país quer realizar mais discussões sobre um acordo sobre combustível nuclear, originalmente lançado como uma possibilidade de melhorar o impasse, mas que, até agora, não chegou a lugar nenhum.

Os EUA e seus aliados tentam reunir apoio para as sanções da ONU contra o Irã por causa da recusa do país em interromper seu enriquecimento de urânio, temendo que Teerã vá usar o processo para construir uma arma nuclear. O Irã nega as acusações e diz que seu projeto tem apenas o objetivo de gerar energia.

A nova instalação de enriquecimento será a terceira do Irã. Ahmadinejad aprovou a localização da nova usina, disse Samareh Hashemi, sem contudo especificar sua localização. Segundo ele, os trabalhos vão começar "assim que o presidente ordenar", sem falar sobre datas, segundo a agência de notícias ILNA.

Em novembro, o governo do Irã aprovou projetos para a construção de dez novas usinas de enriquecimento. No início deste ano, o chefe nuclear iraniano anunciou que a construção de duas dessas dez instalações seria iniciada neste ano pelo calendário iraniano, que começou em março de 2010 e vai até março do ano que vem.

Atualmente, o Irã tem duas usinas de enriquecimento de urânio, uma que opera na cidade central de Natanz e uma outra na cidade de Qom, que ainda não iniciou as atividades de enriquecimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.