Irã desafia comunidade internacional e promete retomar programa

O Irã continua desafiando o Conselho de Segurança da ONU. No mesmo dia em que o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed ElBaradei, alertou que as discussões sobre o programa nuclear iraniano "atingiram uma fase crítica", o chefe dos negociadores de Teerã afirmou que o país irá cortar radicalmente a colaboração com a agência, assim como reiniciará seu programa de enriquecimento de urânio, caso seja reportado ao Conselho de Segurança.O representante do governo do Irã, Ali Larijani, disse em uma carta obtida pela Associated Press que a atitude não deixará escolha para o país a não ser "suspender todas as medidas voluntárias e de cooperação extra" com a AIEA. Isso significa que a permissão de monitoramento da agência no Irã será reduzida ao mínimo. A carta diz ainda que, "todas as atividades nucleares pacíficas atualmente suspensas serão retomadas sem qualquer restrição", numa alusão às ameaças anteriores de reiniciar o enriquecimento de urânio em escala total - um possível atalho para a produção de armamento nuclear.Diplomatas europeus e americanos intensificaram seus esforços para alcançar um acordo sobre o envio do país ao Conselho de Segurança (CS) momentos antes de um encontro de dois dias entre membros da AIEA. A reunião terá que votar uma resolução preliminar apresentada pelo Reino Unido, França e Alemanha que sugere o envio do caso ao CS.Diplomatas presentes ao encontro disseram que a afirmativa da resolução está quase certa, mas Washington e a União Européia queriam o maior apoio possível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.