Irã descarta proposta de enriquecer urânio na Rússia

O governo do Irã descartou a proposta de Moscou de enriquecer urânio em território russo, declarou neste domingo, 12, o porta-voz do Ministério de Exteriores iraniano, Hamid- Reza Asefi, em sua entrevista coletiva semanal. "A proposta russa já não está na ordem do dia da República Islâmica", disse Asefi, dando por liquidada uma das últimas possibilidades que seu país escape das eventuais sanções que possa lhe impor o Conselho de Segurança da ONU, por seu empenho em continuar com o programa de enriquecimento de urânio. No entanto, Asefi descartou que seu país vá abandonar o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), como tinha advertido que poderia fazer caso seu programa nuclear fosse enviado ao Conselho de Segurança. Segundo Asefi, o Irã vai esperar o resultado da próxima reunião do Conselho de Segurança para estudar o programa nuclear iraniano, antes de tomar novas decisões. O ministro de Exteriores iraniano, Manucher Mutaki, mostrou-se mais duro ao declarar que seu país pode "revisar" sua pertinência ao TNP se sentir-se privado de seu direito à energia nuclear, mas reconheceu que isso só aconteceria em caso extremo, porque "preferimos utilizar os mecanismos existentes e ter nossos direitos, depois de mais de trinta anos de pertinência ao TNP", disse.

Agencia Estado,

12 Março 2006 | 08h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.