Irã divulga vídeo próprio de incidente com os EUA

O Irã divulgou na quinta-feira um vídeoque, segundo o país, comprova que suas lanchas não ameaçaramnavios dos Estados Unidos no estreito de Ormuz, como acusam osnorte-americanos. O vídeo foi divulgado pelo canal iraniano por satélitePress TV. Nele, a versão do incidente de domingo écompletamente diferente da que foi divulgada no começo dasemana pelo Departamento de Defesa dos EUA. A Press TV disse que o vídeo, divulgado pela GuardaRevolucionária um dia depois de essa força qualificar de falsasas imagens do Pentágono, inclui -- a exemplo do materialnorte-americano -- uma gravação que seria do diálogo entreambas as tripulações. O general-de-brigada Ali Fadavi, da Guarda Revolucionária,disse que as lanchas iranianas só abordaram os navios dos EUApara examinar seus números de registro, de acordo com a PressTV. O vídeo mostra um oficial naval iraniano numa pequenaembarcação, conversando por rádio com um navio que não pode serclaramente identificado. "Navio de guerra 73 da coalizão, aqui barco de patrulha daMarinha iraniana", diz o oficial, num inglês com sotaquecarregado. "Aqui é o navio de guerra 73 da coalizão. Eu o leio [sic]alto e claro", responde uma voz, com sotaque norte-americano. O oficial iraniano então pede que o navio se identifique,embora às vezes suas palavras sejam indistinguíveis: "Navio deguerra 73 da coalizão, aqui barco de patrulha da Marinhairaniana, pede número lateral... operando na área estemomento." O vídeo do Pentágono, bem diferente, inclui uma voz de umdos navios dos EUA informando que uma pequena embarcação estava"derivando com perigo e pode ser submetida a medidasdefensivas". "Vocês vão explodir depois de alguns minutos",responde a voz do lado iraniano, na versão dos EUA. Washington e Teerã, que romperam relações há quase 30 anos,mantêm atritos por causa de vários temas, especialmente aguerra do Iraque e o programa nuclear iraniano. Na quarta-feira, o presidente George W. Bush disse que oincidente foi um ato "muito provocativo" e que o Irã terá de"arcar com sérias consequências" caso isso se repita. O estreito de Ormuz, cenário do incidente, é o único acessoao golfo Pérsico. Por ali passam por dia 17 milhões de barrisde petróleo bruto, mais de um terço do total comercializadomundialmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.