Irã diz estar pronto dialogar com EUA sobre o Iraque

O Irã afirmou neste domingo que está aberto para negociar com os Estados Unidos sobre questões relacionadas ao Iraque, mas reiterou que continua negando a possibilidade de negociar seu programa nuclear com o governo de Washington. A decisão foi tomada, de acordo com o jornal The New York Times, depois que autoridades iraquianas apelaram para o governo iraniano. A decisão do governo de Teerã pode ter levado em conta a atual situação iraquiana, considerada próxima a uma guerra civil. O governo de Teerã considera que o Conselho de Segurança da ONU está aberto para um debate prolongado em relação às sanções em relação a seu programa nuclear. O Irã também elogiou a posição da Rússia, considerada "leve" em relação ao programa nuclear. "A posição russa é melhor do que a de outros países. Eles têm uma política mais leve. Desde o início a posição deles foi diferente", afirmou o porta-voz do Ministério dos Exteriores do Irã, Mohammed Ali Hosseini. Hosseini afirmou que o Irã vai considerar um diálogo com os Estados Unidos sobre questões locais, incluindo o Iraque, se Washington concordar. Entretanto, afirmou que o país não vai elaborar a pauta do diálogo e que os Estados Unidos não deram nenhuma resposta para a oferta de diálogo. "Se recebermos um pedido oficial, vamos considerar o diálogo", afirmou Hosseini. Entretanto, ele afirmou que o Irã não vai mudar de posição em relação às conversas bilaterais com os Estados Unidos - um aparente indício de que o país não vai rever seu programa de enriquecimento de urânio. Diálogos Em maio, os Estados Unidos afirmaram que queriam dialogar com o Irã sobre a questão iraquiana. O governo de Teerã concordou em conversar e oficiais norte-americanos e iranianos afirmaram que os diálogos girariam em torno do Iraque, não do programa nuclear iraniano. Entretanto, o Irã mudou de idéia e o Ministro dos Exteriores Manouchehr Mottaki rejeitou a negociação com os Estados Unidos afirmando que o diálogo serviria como propaganda norte-americana. Condoleezza Rice, secretária de Estado norte-americana, afirmou que o Irã possui um papel importante no Iraque, considerando que os dois países são de maioria xiita. Especialistas acreditam que líderes iranianos têm ligações estreitas com autoridades e clérigos iraquianos. O anúncio do ministro iraniano aconteceu horas depois da divulgação da sentença de Saddam Hussein, condenado à morte por enforcamento neste domingo. Saddam era julgado pelo massacre de xiitas em 1982. A declaração acontece também um dia depois de centenas de iranianos celebrarem o 27º aniversário da tomada da embaixada dos Estados Unidos em Teerã, em 1979, quando 52 americanos foram mantidos reféns durante 444 dias. O fato fez com que os dois países rompessem relações diplomáticas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.