Irã diz que Blair fez críticas motivado pelo ódio

O Irã reagiu nesta quarta-feira ao apelo feito pelo premier britânico, Tony Blair, para que os países do Oriente Médio formem uma aliança contra os iranianos.O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Ali Hosseini, disse que as declarações de Blair foram motivadas pelo ódio e são coerentes com "a intervenção destrutiva" da Grã-Bretanha em questões regionais."A abordagem negativa e desarmonizadora da Grã-Bretanha e as atitudes belicistas e políticas unilaterais de Bush e Blair já causaram tensão e extremismo na região e fizeram com que as pessoas abominem suas políticas", disse o ministro numa nota.Segundo ele, as afirmações de Blair "não conseguirão atingir a fraternidade, a amizade e a boa vizinhança dos países da região".Blair fez o apelo em Dubai, pedindo aos líderes moderados da região que se unam à "luta monumental" entre a democracia e o extremismo."Precisamos reconhecer o desafio estratégico que o governo do Irã representa; não seu povo, e possivelmente não todos os seus elementos de liderança, mas aqueles que hoje são responsáveis por suas políticas", disse o britânico."Nossa resposta deve mostrar o que eles estão fazendo, construir alianças para impedir isso e repreendê-los", disse Blair.Assim como os EUA, a Grã-Bretanha acusa o Irã de querer produzir armas nucleares e de alimentar a instabilidade no Iraque, no Líbano, em Israel e nos territórios palestinos. O Irã nega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.