Irã diz que denúncia nuclear foi "mal-entendido"

O Irã disse que o relatório das Nações Unidas acusando a república islâmica de esconder material nuclear necessário para a construção de armas atômicas foi baseado num ?mal-entendido?. Segundo o porta-voz Hamid Reza Asefi, o país realmente fez pesquisas com o polônio, um metal radioativo, mas abandonou-as há 13 anos. O relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) não diz nada de novo, afirmou.O comentário surge um dia depois de a AIEA, braço da ONU para fiscalização de atividades nucleares, ter anunciado que seus inspetores no Irã descobriram sinais de polônio-210. Segundo a agência, o polônio poderia ?ser usado para fins militares... especificamente, como... iniciador em alguns sistemas de armas nucleares?.Tendo concordado em cooperar com a AIEA, o Irã deve apresentar toda a informação sobre seus programas nucleares, passados ou atuais. Mas o governo de Teerã jamais reconheceu ter trabalhado com o polônio-210. O comentário de Asefi não deixou claro se a pesquisa de 13 anos atrás havia sido informada aos inspetores, e por que a denúncia da ONU seria um ?mal-entendido?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.