Irã diz que está aberto a diálogo com os EUA

Enquanto Ahmadinejad inaugura usina de combustível e anuncia avanços no programa atômico, país analisa nova proposta de negociação

TEERÃ, O Estadao de S.Paulo

09 de abril de 2009 | 00h00

O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, disse ontem que o Irã está aberto para negociar com os EUA e outros países sobre o futuro de seu programa nuclear, mas insistiu que o diálogo deve ter como base o respeito aos direitos iranianos e sugeriu que o Ocidente não tente obrigar Teerã a interromper o desenvolvimento de sua tecnologia de enriquecimento de urânio. Veja os altos e baixos da relação entre Estados Unidos e IrãAhmadinejad inaugurou ontem em Isfahan a primeira usina de fabricação de combustível nuclear do Irã. Com a inauguração, Teerã afirma controlar a o ciclo da fabricação de combustível nuclear. "Felicito a nação iraniana pelo grande sucesso em completar esse ciclo de produção", disse o presidente. Em comemoração do Dia Nacional da Energia Atômica, Ahmadinejad fez um discurso em que anunciou que o Irã testou dois novos tipos de centrífugas de capacidade muito superior às atuais. Segundo o governo iraniano, existem agora instaladas cerca de 7 mil centrífugas na usina de Natanz. Nos próximos cinco anos, segundo Teerã, serão 50 mil centrífugas. A nova usina de Isfahan foi inaugurada um dia após os EUA terem anunciado que participarão de negociações diretas com o Irã sobre seu programa nuclear. Na quarta-feira, a Casa Branca disse que fará parte de um grupo de seis países - Rússia, China, França, Alemanha e Grã-Bretanha, além dos EUA - que ofereceria um pacote de estímulos econômicos em troca da interrupção do programa nuclear iraniano. DÚVIDASO grupo convidou o Irã para um encontro, mas ainda não obteve uma resposta. Segundo diplomatas europeus e americanos, a proposta a Teerã será oficializada por Javier Solana, chefe de Assuntos Exteriores da União Europeia, em uma reunião nas próximas semanas."A sugestão ainda deve ser estudada. Trata-se de uma proposta construtiva, que mostra uma mudança de atitude dos EUA", disse ontem Ali Akbar Javanfekr, um dos principais conselheiros de Ahmadinejad.O presidente iraniano afirmou ontem que apresentará em breve uma nova proposta de negociação, mas não deu detalhes. "Hoje a conjuntura mudou. Em razão de alguns novos acontecimentos, temos de acrescentar novos elementos às nossas propostas originais."EUA, Israel e aliados europeus suspeitam que o programa nuclear do Irã tenha como objetivo a fabricação de bombas e exigem a interrupção imediata do enriquecimento de urânio. Teerã assegura que o programa tem fins pacíficos e pretende apenas produzir energia elétrica.A AIEA declarou em seu relatório publicado em fevereiro que não tem como verificar se o programa nuclear iraniano tem mesmo fins pacíficos, pois seus inspetores não tiveram acesso a várias instalações do Irã. AP, REUTERS, AFP E NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.