Irã diz que EUA são responsáveis pelo destino de reféns

O ministro de Relações Exteriores do Irã, Ali Akbar Salehi, disse nesta terça-feira que responsabiliza os Estados Unidos pelo destino dos iranianos sequestrados na Síria. Rebeldes sírios capturaram 48 iranianos perto de Damasco, capital da Síria, no sábado. O Irã afirma que os sequestrados são peregrinos em visita a um santuário, mas seus captores dizem que os reféns estavam em uma "missão de reconhecimento."

AE, Agência Estado

07 de agosto de 2012 | 11h38

A agência de notícias estatal, IRNA, disse que o ministro convocou o enviado suíço em Teerã na noite de segunda-feira para ressaltar que o país espera que Washington utilize sua influência para assegurar a libertação dos reféns. A Suíça representa os interesses dos EUA no Irã já que Teerã e Washington não têm relações diplomáticas.

Aliado próximo do regime do presidente Bashar Assad, o Irã critica o apoio aos rebeldes dos Estados Unidos, Turquia e algumas nações do Golfo.

Em Damasco, um enviado iraniano sênior, Saeed Jalili, reuniu-se com Assad nesta terça-feira, afirma a agência de notícias estatal síria. A emissora mostrou uma foto do presidente sentado com Jalili no palácio presidencial - a segunda aparição de Assad desde o ataque que matou quatro de seus principais oficiais de segurança, incluindo seu cunhado, em 18 de julho. Assad não fala em público desde então, o que suscita comentários de que ele teme por sua segurança.

Os rebeldes afirmam que três dos cativos foram mortos durante um bombardeio de forças do governo em Damasco, e ameaçam executar os outros se os bombardeios não forem interrompidos. "O regime sírio é responsável por qualquer coisa que aconteça com os iranianos", disse via Skype para a Associated Press um porta-voz da Brigada Baraa, que assumiu a responsabilidade pelo sequestro. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãSíriaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.