Irã diz que não vai permitir manifestação da oposição

Um funcionário do Ministério do Interior iraniano disse neste sábado que o governo não vai permitir que a oposição realize uma manifestação em apoio aos levantes árabes ocorridos na Tunísia e no Egito. Membros do regime iraniano acreditam que a concentração é uma tentativa de realizar novos protestos contra o governo.

AE, Agência Estado

12 de fevereiro de 2011 | 17h50

Os líderes opositores Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi haviam pedido permissão ao Ministério para realizar, na segunda-feira, uma demonstração de solidariedade aos povos da Tunísia e do Egito.

"Esses elementos estão perfeitamente cientes da natureza ilegal do pedido. Eles sabem que não daremos permissão para tumultos", disse Mehdi Alikhani Sadr, funcionário da divisão política do Ministério, segundo a agência de notícias Fars.

Permissão para "tumultos de incitadores" não será concedida, disse ele, referindo-se aos líderes opositores que funcionários do regime acusam de ter espalhado os protestos realizados após a controversa reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad em 2009.

Partidários do governo dizem que os líderes opositores querem usar a manifestação em apoio aos egípcios e tunisianos para demonstrarem sua insatisfação com o regime. Os protestos de 2009 deixaram dezenas de mortos, centenas de feridos e milhares foram detidos. Embora Teerã não permita que o movimento opositor realize manifestações, a oposição declarou seu apoio aos tunisianos e egípcios.

O próprio Ahmadinejad disse na sexta-feira que era um "direito" dos egípcios protestar contra o aliado dos Estados Unidos, Hosni Mubarak, horas antes de o presidente renunciar. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEgitoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.