Atomic Energy Organization of Iran via AP
Atomic Energy Organization of Iran via AP

Irã diz que sua instalação nuclear de Natanz foi alvo de ação 'terrorista'

Rádio israelense, citando fonte anônima, diz que serviço de espionagem Mossad, de Israel, havia realizado um ataque cibernético contra a instalação

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2021 | 15h30

TEERÃ - Um incidente na instalação nuclear Natanz do Irã, neste domingo, foi causado por um ato de “terrorismo nuclear”, disse a principal autoridade do país para assuntos nucleares, Ali Akbar Salehi, segundo a televisão estatal, acrescentando que Teerã se reserva ao direito de agir contra os responsáveis.

A rádio pública israelense Kan citou fontes da comunidade de inteligência, cujas nacionalidades não foram reveladas, dizendo que a agência de espionagem Mossad, de Israel, havia realizado um ataque cibernético contra a instalação. Não houve comentários oficiais de Israel sobre o incidente.

Mais cedo no domingo, o porta-voz da Organização de Energia Atômica do Irã disse que um problema com a rede de distribuição elétrica de Natanz havia causado o incidente, segundo a imprensa iraniana.

O porta-voz, Behrouz Kamalvandi, afirmou que o incidente não gerou mortes ou contaminação.

O incidente aconteceu um dia depois de Teerã inaugurar novas centrífugas de enriquecimento de urânio no local. A instalação permitiria ao Irã enriquecer mais rapidamente o urânio, cujo uso é proibido pelo acordo internacional sobre seu programa nuclear assinado em 2015. 

A instalação, localizada no deserto da província de Isfahan, na região central, é peça central do programa de enriquecimento de urânio do Irã e é monitorada por inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica, órgão supervisor da ONU.

“Embora condenemos essa ação desprezível, o Irã enfatiza que a comunidade internacional e a Agência Internacional de Energia Atômica precisam lidar com o terrorismo nuclear e se reserva ao direito de agir contra os responsáveis”, disse Salehi. Ele não entrou em detalhes.

A Rádio Kan, citando fontes de inteligência, disse que os danos em Natanz foram mais extensos do que relatados pelo Irã.

O presidente do país, Hassan Rouhani, inaugurou um conjunto de 164 centrífugas do tipo IR-6 e 30 IR-5, instaladas no complexo de Natanz, no centro do Irã, em cerimônia de videoconferência transmitida pela televisão estatal. 

A televisão não transmitiu imagens das centrífugas, mas engenheiros de jaleco branco disseram, depois de receber a encomenda de Rohani, que começaram a receber urânio gasoso. 

Os anúncios coincidem com as negociações em Viena entre o Irã e os demais estados que fazem parte do acordo de 2015 - China, França, Alemanha, Grã-Bretanha e Rússia - sobre como reintegrar os Estados Unidos ao pacto. 

Na quarta-feira, 7, Rouhani declarou que "um novo capítulo" foi aberto a partir das negociações em Viena entre Teerã e a comunidade internacional para tentar salvar o acordo sobre o programa nuclear iraniano, enfraquecido desde que os Estados Unidos o abandonaram unilateralmente, em 2018 e restabeleceu as sanções econômicas e financeiras contra o Irã. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.