Irã diz ter testado foguete para lançamento de satélites

Foguete levava 'cápsula experimental' com um rato, uma tartaruga e vermes, segundo TV estatal iraniana

BBC Brasil, BBC

03 de fevereiro de 2010 | 09h33

Ahmadinejad discursa em cerimônia de apresentação do foguete. Foto: Ebrahim Noroozi/Reuters

 

TEERÃ- A televisão estatal do Irã informou nesta quarta-feira que o país testou com sucesso um novo foguete que poderá colocar em órbita um satélite do país.

 

Veja também:

link EUA e Irã não negociam troca de prisioneiros, diz Washington

O anúncio, feito pelo canal estatal Al Alam, afirmou que foi testado um foguete "Kavoshgar 3, para levar satélites".

De acordo com o canal de televisão, o foguete levou uma "cápsula experimental", contendo um rato, uma tartaruga e vermes. Esta cápsula poderá enviar dados de volta para a Terra.

De acordo com o correspondente da BBC em Teerã Jon Leyne, a televisão iraniana mostrou imagens do lançamento do novo foguete no deserto e, em seguida, imagens da cápsula se destacando do foguete e entrando em órbita. A transmissão foi parte das comemorações do aniversário da revolução islâmica no país.

Leyne acrescenta que este novo lançamento deverá gerar preocupação em outros países em relação à capacidade tecnológica do Irã, principalmente sua tecnologia de foguetes e a possível ligação com seu programa nuclear.

'Todas as órbitas'

O presidente Mahmoud Ahmadinejad também foi mostrado pela televisão iraniana mostrando outro foguete iraniano que pode levar um satélite, o Simorgh.

"É ótimo que organismos vivos possam ser enviados ao espaço, para fazermos experiências com eles e então trazê-los de volta à Terra", disse o presidente.

"Vamos enviar um satélite a 500 quilômetros de altura. Os próximos passos são 700 e mil quilômetros. Todos sabem que, ao alcançar mil quilômetros, poderemos alcançar todas as órbitas", acrescentou.

O lançamento do foguete ocorre no dia nacional da Tecnologia Espacial, uma data iraniana que é parte do calendário de comemorações que marcam o 31º aniversário da revolução islâmica.

O lançamento gera preocupação em relação à capacidade tecnológica do Irã e como esta capacidade influi em seu programa nuclear. Os países ocidentais temem que o Irã esteja tentando construir armas nucleares, o que o Irã nega, afirmando que o programa nuclear do país visa apenas a geração de energia.

No entanto, o presidente Ahmadinejad afirmou que aceitaria enviar urânio para ser enriquecido fora do país em troca de combustível nuclear, em uma referência a um dos termos da proposta apresentada no ano passado pela ONU. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

 

Resposta dos EUA

 

O lançamento iraniano de um foguete capaz de transportar um satélite foi um 'ato provocativo', disse nesta quarta um porta-voz da Casa Branca.

 

Consultado sobre uma reação ao anúncio do Irã de haver lançado um foguete Kavoshgar-3, o porta-voz Bill Burton afirmou que os Estados Unidos ainda estava comprovando se o lançamento havia realmente ocorrido.

 

"Um lançamento como esse é obviamente um ato provocativo", disse Burton à imprensa. "Mas o presidente acredita que não é demasiado tarde para fazer o certo (...), vir à mesa com a comunidade internacional e cumprir com suas obrigações internacionais", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.