Irã doa US$ 50 mi à ANP e diz ter milhares de homens-bomba

O Irã anunciou que doará US$ 50 milhões à Autoridade Nacional Palestina (ANP), movendo-se para preencher o vácuo deixado pela recusa dos governos dos EUA e da União Européia (UE) em financiar a nova administração palestina, dominada pelo grupo extremista Hamas. O ministro iraniano das Relações Exteriores, Manouchehr Mottaki, anunciou o pacote de ajuda durante uma conferência de apoio aos palestinos, realizada em Teerã. Israel, os EUA e a UE exigem que o Hamas, considerado uma organização terrorista, renuncie ao uso da violência e reconheça a existência do Estado israelense. O líder político do Hamas, Khaled Mashaal, insiste que essas reivindicações não serão atendidas e que o governo chefiado pelo movimento "jamais reconhecerá Israel". Também neste domingo, o jornal britânico Sunday Times noticia que fontes iranianas garantem que o país tem batalhões de homens-bomba prontos para atacar alvos nos EUA e no Reino Unido, se as instalações nucleares da República Islâmica forem atingidas por uma agressão externa. De acordo com as autoridades iranianas ouvidas pelo Times, já existem 40.000 homens-bomba treinados e prontos para agir. A principal força, chamada Unidade Especial de Aspirantes ao Martírio na Guarda Revolucionária, foi vista pela primeira vez quando seus membros desfilaram numa parada militar em março, usando farda verde-oliva e explosivos amarrados na cintura. Hassan Abbasi, chefe do Centro de Estudos Estratégicos e Doutrinários na Guarda Revolucionária, disse em discurso, citado pelo jornal britânico, que 29 alvos já foram identificados no Ocidente.

Agencia Estado,

16 Abril 2006 | 14h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.