Fabrice Coffrini/Efe
Fabrice Coffrini/Efe

Irã e potências ocidentais chegam a acordo sobre negociações

Teerã aceita inspeções surpresa em suas plantas nucleares em troca de fim das sanções

Jamil Chade, correspondente em Genebra,

16 de outubro de 2013 | 12h59

(Atualizada às 14h18) GENEBRA - O Irã e as potências ocidentais EUA, China, Rússia, Grã-Bretanha, Alemanha e França chegaram a um acordo nesta quarta-feira, 16, para continuar negociando uma solução para o impasse nuclear de mais de dez anos. A partir de um projeto apresentado por Teerã, técnicos irão se reunir para começar a implementar o projeto. Pela primeira vez, Ocidente e Irã emitem um comunicado conjunto após um encontro negociador.

O Irã indicou que está disposto a aceitar inspeções de surpresa a suas plantas nucleares e mesmo a locais não listados como estruturas de seu programa atômico, em troca da suspensão total das sanções. A medida seria tomada no final de um processo que pode levar um ano. "Temos restrições que precisamos resolver, mas o importante agora é avançar de maneira coerente e com um enfoque equilibrado", disse o chanceler iraniano Mohamed Zarif. "Estamos discutindo vários mecanismos de controle."

As informações foram dadas pela delegação iraniana que concluiu o encontro nesta quarta-feira em Genebra. Outra medida prevista pelos iranianos é a redução de algumas de suas centrífugas e a redução dos níveis de enriquecimento de material nuclear.

As ofertas foram feitas ao grupo de países que se reúnem na ONU. Zarif informou por meio de sua página no Facebook que o processo com as seis potências ocidentais será retomado, em outra reunião a ser realizada em duas semanas em Genebra.

Segundo a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, o encontro está marcado para os dias 7 e 8 de novembro. "Os debates que tivemos foram os mais detalhados que ocorreram entre o Irã e o grupo de países", disse Ashton. Para ela, o plano iraniano foi uma "contribuição importante".

Zarif afirmou que o acordo pode ser "o início de uma fase das relações" entre Irã e as potências ocidentais. "Tivemos dois dias de consultas, extensas e úteis, que esperamos que sejam o início de uma nova fase nas nossas relações para encerrar uma crise desnecessária e abrir novos horizontes."

O pacote apresentado pelo Irã causou otimismo das delegações, que concordaram em continuar trabalhando sobre os detalhes. A medida foi a primeira depois que o novo presidente iraniano, Hassan Rohani, assumiu e sugeriu que estaria disposto a mudar seu tom com o Ocidente.

Na terça-feira, a delegação iraniana em Genebra indicou que quer o fim do impasse nuclear com a comunidade internacional no prazo de um ano. Mas, além do fim das sanções, quer também o reconhecimento internacional de que o Irã tem o direito de usar energia nuclear para fins pacíficos.

Zarif voltou a dizer que não há motivo para preocupação com o programa nuclear de Teerã. "Não há razões para estarem preocupados com nosso programa nuclear, não há lugar para dúvidas, mas insistimos em nosso direito de desenvolver um programa nuclear com fins pacíficos, incluindo o enriquecimento de urânio."/ Com Reuters

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.