Irã é 'precursor' da luta contra os EUA, diz presidente boliviano

Morales visitou Teerã e disse que país persa será sócio da Bolívia na industrialização do lítio.

BBC Brasil, BBC

27 de outubro de 2010 | 18h18

Presidentes destacaram 'sociedade' na exploração do lítio

Concluindo uma visita de três dias ao Irã, o presidente da Bolívia, Evo Morales, chamou nesta quarta-feira seu colega iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de "precursor" da luta contra o imperialismo americano, informou a agência estatal iraniana Irna.

Morales disse que o país persa será "sócio" da Bolívia na industrialização do lítio, metal usado em baterias de carros híbridos e presente em grande quantidade na Bolívia.

"Há três anos fortalecemos a confiança entre os povos, presidentes e governos de Bolívia e Irã, uma relação que é cada vez mais sólida", disse o líder boliviano no Parlamento iraniano, segundo relato da agência estatal boliviana ABI.

Como Hugo Chávez, presidente da Venezuela, Morales é um forte crítico dos Estados Unidos na América Latina e tem se aproximado do Irã, que mantém uma relação tensa com o governo americano.

Acordos

Na visita, Morales e Ahmadinejad também firmaram acordos para facilitar a emissão mútua de vistos de entrada de seus cidadãos e para abrir o mercado iraniano a commodities bolivianos.

O presidente iraniano ofereceu à Bolívia empréstimo de US$ 250 milhões e disse que ambos os governantes lideram povos que lutam "pela independência, a dignidade e o bem-estar", segundo a ABI.

Na terça-feira, os presidentes também disputaram um jogo de futebol.

Essa foi a segunda visita de Morales ao Irã, e Ahmadinejad também já esteve duas vezes na Bolívia, onde aventou a possibilidade de explorar urânio.

O Irã é alvo de sanções econômicas da Europa e dos Estados Unidos por conta de seu programa nuclear, que muitos países desconfiam estar sendo desenvolvido para produzir armas atômicas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
boliviairãmoralesahmadinejadlítio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.