Irã e Qatar discutem sobre questão geográfica

Uma antiga disputa teve um novo capítulo esta semana, quando o presidente iraniano e o emir do Qatar discutiram sobre o nome da massa de água que separa o Irã da Península Árabe. Geógrafos tradicionalmente referem-se à região como Golfo Pérsico, por causa da antiga Pérsia, e atual Irã. Os árabes referem-se ao local como Golfo Árabe.A radio estatal de Teerã informou na quarta-feira que a disputa começou durante uma cerimônia que marcou a partida do emir do Qatar, Sheik Hamad bin-Khalifa al-Thani, que estava no Irã.O emir, em uma tentativa de ser diplomático, disse que espera que a seleção de futebol iraniana traga orgulho para toda a região do "Golfo Persa Árabe" durante a Copa do Mundo de 2006 na Alemanha. O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad respondeu: "Acredito que você o chamava de Golfo Pérsico quando estudou na escola".O emir do Qatar, que assinou vários acordos econômicos e encontrou-se com líderes iranianos durante sua visita, e rebateu. "A propósito, o golfo pertence a todos (os países vizinhos)".O Qatar e cinco outros Estados árabes dividem as águas do golfo com o Irã, cuja população e língua não são majoritariamente árabes.A reposta de Ahmadinejad foi aparentemente motivada por esforços de proteger o termo Golfo Pérsico do uso da definição Golfo Árabe, que é visto por Teerã como uma imposição de nacionalistas árabes. O Irã reagiu fortemente em 2004 quando a oitava edição do atlas da National Geographic foi lançado com o termo Golfo Árabe entre parênteses além do termo mais comum Golfo Pérsico.Teerã baniu esta edição do atlas, assim como jornalistas da National Geographic, até que o mapa da região do Golfo fosse mudando. Historicamente, a região é chamada de Golfo Pérsico, mas nacionalistas árabes como o ex-presidente egípcio Gamal Abdel Nasser e o ex-líder iraquiano Saddam Hussein fizeram tentativas de renomeá-la.O Irã advertiu que não participaria dos Jogos Asiáticos de 2006 se o anfitrião, o Qatar, continuar a usar o termo Golfo Árabe enquanto estiver promovendo o evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.