Irã e UE marcam reunião para debater tema nuclear

O Irã e a União Européia vão retomar os debates sobre o programa nuclear iraniano na Turquia, na quarta-feira, 25, depois que a UE endossou as sanções contra a república islâmica com medidas além das resoluções da Organização das Nações Unidas. O chefe da política exterior da UE, Javier Solana, se reunirá com o negociador iraniano para assuntos nucleares, Ali Larijani, em Ancara, em nova tentativa de convencer Teerã a suspender o enriquecimento de urânio, que o Ocidente teme ser destinado a fazer uma bomba atômica. "Vou encontrá-lo na quarta-feira na Turquia. Espero começar a retomada das negociações que deixamos há algum tempo para ver se podemos avançar nas negociações", disse Solana a repórteres, ao chegar para uma reunião com ministros de Relações Exteriores da UE, em Luxemburgo. Será o primeiro encontro deste tipo desde que a ONU aprovou novas sanções contra o Irã, em março, após Teerã recusar-se a suspender suas atividades nucleares. Ministros das Relações Exteriores da UE aprovaram uma regulamentação que implementa as medidas da ONU contra indivíduos e entidades envolvidas nos programas nucleares e de mísseis do Irã, acrescentando mais pessoas à lista de proibição de concessão de vistos e congelamento de bens, disseram atividades. A lista não foi divulgada ao público de imediato, mas diplomatas disseram que contém entre 15 e 20 pessoas e organizações a mais. Programa nuclearO presidente Mahmoud Ahmadinejad, que adotou uma posição dura na defesa das ambições nucleares do país, disse nesta segunda-feira, 23, que Teerã quer manter-se dentro do Tratado de Não-Proliferação e que resistirá pacificamente às sanções da ONU. "Até agora, nossas atividades estão dentro das leis...estamos interessados em continuar neste caminho. Não queremos abandonar o sistema da lei", disse Ahmadinejad à televisão espanhola, ao ser questionado se o Irã iria abandonar o tratado. Diplomatas da UE disseram que não há indicações de que o Irã esteja disposto a congelar o enriquecimento de urânio, mesmo temporariamente, para permitir o início de negociações formais, conforme exigência de países ocidentais. A porta-voz de Solana disse que o encontro, que não envolverá autoridades turcas, pode durar um ou dois dias, e que o chefe da política exterior da UE espera informar ministros do Exterior da Otan sobre as negociações na próxima quinta-feira, em Oslo. Ela disse que o objetivo da UE é conseguir acordo de "suspensão dupla" do enriquecimento do urânio e das sanções, para abrir caminho a negociações formais. Questionada sobre o motivo que tornam as perspectivas deste encontro melhores do que as reuniões similares realizadas em setembro, que fracassaram depois que o Irã recusou-se a suspender o enriquecimento, a porta-voz Cristina Gallach disse: "Em primeiro lugar, há consenso total da comunidade internacional, que foi demonstrado através da votação (das sanções) da ONU há um mês. Em segundo lugar, há um entendimento total da comunidade internacional e do Irã de que temos que resolver este problema através de negociações." "Esperamos que esta oportunidade na quarta-feira seja totalmente aproveitada", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.