Irã e Venezuela criam fundo para projetos conjuntos

Os governos da Venezuela e do Irã criaram um fundo de 2 bilhões de dólares para financiar parte dos 29 acordos de cooperação firmados em diversas áreas neste domingo, no início da visita do presidente iraniano Mahmud Ahmadineyad ao país governado por Hugo Chávez.Os acordos e cartas de intenção criam empresas mistas com tecnologia iraniana, e foram celebrados em um ato na Academia Militar de Caracas, com a presença dos presidentes dos dois países, sob um cartaz no qual podia ser lido "Viva a revolução dos povos livres".Ahmadineyad chegou neste domingo ao país, vindo de Cuba, e segue para os Estados Unidos na segunda-feira, onde vai participar da Assembléia Geral das Nações Unidas. Hugo Chávez também deve participar das reuniões da ONU na próxima quarta-feira, 20.Durante a celebração, os dois presidentes assistiram transmissões televisivas vindas do interior da Venezuela, que mostravam a inauguração de uma mesquita e a abertura de uma fábrica de cimento, construída com capital iraniano.AcordosOs novos acordos firmados entre os dois países incluem, entre outros projetos, uma processadora de derivados de petróleo e outros convênios para a produção de pólvora, equipamentos médicos, automóveis, máquinas da agroindústria, produtos navais, siderúrgicas e aviões de médio e pequeno porte.As companhias aéreas venezuelana Comviasa e a iraniana Iran Air, devem criar uma rota comercial entre Caracas e Teerã, segundo acordo firmado neste domingo. Acionistas dos dois países também firmaram acordo para a construção de uma petroquímica no interior da Venezuela.Na segunda-feira, Chávez e Ahmadineyad devem acompanhar a perfuração de uma reserva de petróleo no estado de Anzoátegui, no nordeste da Venezuela. Depois, seguem para Bolívar, onde vão entregar a agricultores locais uma frota de tratores construídos por uma empresa com capital dos dois países.Depois de firmarem os acordos econômicos, os dois presidentes selaram uma "Declaração Conjunta" a favor da cooperação e luta por um mundo "multipolar", e pediram a democratização de organismos multilaterais como a ONU.No final do encontro, Mahmud Ahmadineyad recebeu, das mãos de Hugo Chávez, o "Colar da Ordem do Libertador", uma das mais altas condecorações da Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.